15 de out de 2009

Hoje



Eu ainda não defini se escolhi ser professora, educadora ou se foi a profissão que me escolheu. Foram muitas influências, bons exemplos, ideais.
Descobrir coisas, satisfazer curiosidades, resolver enigmas, viajar na imaginação, conhecer o novo é o que sempre me moveu. Depois que comecei a estudar a profissão, também pode se acrescentar a isso tudo o questionamento de verdades vistas como absolutas; o não conformismo, que alguns preferem chamar de indignação; o comprometimento com o social e com meu papel na vida das pessoas com quem tenho contato. Eu pensava enquanto estudante que podia interferir na Educação do país. Acho hoje que já fui bem feliz contribuindo prá melhorar a vida de algumas pessoas que quiseram que o conhecimento que transmiti mudasse suas vidas. Principalmente os adultos que alfabetizei. Tenho gratas recordações. Trabalho de formiguinha.
Mas prá mudar a Educação vai ser necessário um tsunami político-ideológico. E nem sei se quero estar lá.
De qualquer forma, é uma profissão importante, mas pouco valorizada por aqui. Bonita, mas árdua.
É preciso ser alguém bem teimoso prá ser professor.
Parabéns a quem consegue.

Nenhum comentário: