9 de ago de 2009

Paizão

Pais são sempre primeiro amor de todas as meninas.
Com o meu não seria diferente... Além do mais, sendo a pessoa que ele é.
Sempre elegante com aqueles ternos e gravatas, cheiroso e aprumado por causa do trabalho, a menina ficava ao seu lado assistindo a tudo e levando de vez em quando borrifadas de água com a mão, divertidíssimas! Aprendeu até a dar nó na gravata. Muito útil para os dias de casamento, hoje em dia...
Aprendeu tanta coisa... A ser tranquila mesmo em tempos de crise (ao menos tentar não demonstrar desespero...) A amar o conhecimento e os livros, a filosofia, a entender economia, a apreciar a boa mesa e a qualidade do que escolhe. A ser honesta e justa, a não ter preconceito, ser gentil e encarar a vida com leveza e alegria.
E a ter visão crítica, o que aliás, resultou em verdadeiros terremotos por discussão de idéias. Muita gente reclamou delas. Mas faria de novo. Tenho certeza que ele também.
A menina aprendeu também com erros, mas essa aprendizagem fica entre nós. E virando as páginas no tempo, que faz os enganos ficarem distantes e apagados, me orgulho de ser sua filha.
Um brinde ao Dia do Paizão, com um chopinho bem tirado, certo?
É claro, vários, muitos beijos e abraços bem aconchegantes.
E pode parar de chorar seu Rubinho.
Amo você

Nenhum comentário: